quarta-feira, abril 30, 2003

Mude a sua maneira de pensar sobre o cinema em apenas 8 filmes:

Continuando o que Ébano iniciou, aí vai uma lista de 8 filmes considerados alternativos e muito bons:

- Tudo sobre minha mãe: Eleito o melhor filme do ano no festival espanhol de San Sebastian e aplaudido em todo o mundo, Tudo sobre Minha Mãe valeu a Pedro Almodóvar o prêmio de melhor diretor em Cannes em 1999. O título é uma referência ao clássico All About Eve (A Malvada) de Joseph Mankiewicz, com Anne Baxter e Bette Davis, a quem Almodóvar dedica o filme, além de sua mãe, que morreu em setembro. Almodóvar mais uma vez celebra a profundidade emocional do universo feminino em uma história que privilegia as mulheres, com um elenco que conta com Marisa Paredes, Candela Peña, Penélope Cruz e a argentina Cecilia Roth, que volta a trabalhar com Amodóvar depois de treze anos.

- Akira: "Mais do que um desenho animado, Akira marcou época com uma história adulta, personagens surpreendentes e a intocável qualidade japonesa de animação." Katsuhiro Otomo, 1988
A animação nunca foi a mesma depois do lançamento de Akira. Criado por Katsuhiro Otomo, o filme saiu das páginas de uma HQ de sucesso no Japão. Foi o próprio Otomo que se encarregou de levar a sua obra para o cinema.

- Clube da luta: Depois do ótimo Seven - Os Sete Pecados Capitais e da bomba Vidas em Jogo, David Fincher dá a volta por cima com esse drama violento e instigante, baseado no livro homônimo de Chuck Palahniuk.

- De Olhos Bem Fechados: Última produção do consagrado cineasta norte-americano Stanley Kubrick (1928-1999) mergulha Tom Cruise e Nicole Kidman em uma trama que fala de desejo, casamento e fidelidade. O filme que abriu a 56ª Mostra Internacional de Cinema de Veneza – com a presença do casal – é uma adaptação bastante fiel do romance Traumnovelle, escrito em 1926 pelo austríaco Arthur Schnitzler (1862-1931) e ainda inédito no Brasil.

- Trilogia das Cores: Alguns filmes tornam-se influentes por questões estéticas, outros porque inauguram gêneros ou subvertem estilos. Os filmes "Azul, Branco e Vermelho", que compões a Trilogia das Cores, de Krzysztof Kieslowsky, estão nessa lista por uma única razão: porque são ótimos. Numa década de domínio quase absoluto do cinema americano, em termos de bilheteria e influência, os filmes de Kieslowsky reabilitaram o cinema europeu e mostraram que os caminhos para o realismo no cinema não estavam todos fechados, como prenunciava a estética comercial-chique dos copiadores de Tarantino e John Woo.

- Festa em Família: Na década passada, um grupo de cineastas dinamarqueses lançou para o mundo o manifesto Dogma 95, defendendo uma nova forma de fazer cinema: filmar sem luz artificial, sempre em locações, não usar trilha sonora e outras condições. Algumas delas já haviam sido usadas e desenvolvidas por outros movimentos. Não podemos deixar de lembrar que o nosso Cinema Novo apresentou idéias até mais revolucionárias para sua época do que o Dogma, mas isso não importa agora. O que importa é que o manifesto dimanarquês trouxe para o mundo uma nova forma da produção cinematográfica. Festa em Família chega com um roteiro maravilhoso, que amarra o espectador na cadeira, e um elenco com atuações brilhantes. Percebemos, então, que o grande cinema não é o cinema de tecnologia, o cinema banal com embalagem de luxo. A grandiosidade desse filme está em sua essência, nas relações que se formam, na trama bem desenvolvida, na sofisticada carpintaria da dramaturgia.

- Trainspotting: "Você não está ficando mais jovem, Mark. O mudo está mudando, até as drogas estão mudando. Você não pode ficar aí o dia inteiro pensando em heroína e Iggy Pop. Você precisa fazer algo novo." Com essas palavras, Diane, a namorada de Rent Boy, define o espírito da coisa. Realizado no meio da década passada, Trainspotting chegou arrasando. Elogiado pela crítica e cultuado pelo público, o filme causou uma leve polêmica quando foi acusado de glamourizar o uso de drogas. Ele foi a segunda investida de uma equipe que já tinha trabalhado junta em Cova Rasa, e o momento decisivo para o ator escocês Ewan McGregor (o tal Rent Boy), que em seguida colocou o pé definitivamente em Hollywood com o papel do Obi-Wan Kenobi no Episódio I de Star Wars.

- Magnólia: Logo na sequência inicial percebe-se que Magnólia não será um filme qualquer. Com um toque de humor negro, três casos de assassinato são narrados em off para explicar que as casualidades acontecem, por mais absurdas (ou engraçadas) que pareçam ser.
Depois, uma série de histórias e personagens que aparentemente não têm nada em comum começam a desfilar seus dramas. Enfim, um começo pra lá de confuso.
Tom Cruise, premiado com o Globo de Ouro de melhor ator, é Frank, um guru do sexo. Ele comanda bizarras palestras sobre como dominar a "xoxota". Em uma interpretação que ultrapassa o papel de galã, Cruise mostra que ainda vai dar trabalho em Hollywood.
Depois de se familiarizar com a história e com os dramas de cada um dos personagens, o espectador é pego de surpresa. Algo de surreal acontece (será que eu dormi e perdi alguma coisa?, todos vão se perguntar) e tem-se a impressão de que o filme vai dar em nada.
Ainda assim, Paul Thomas Anderson consegue retomar o fio da meada e fazer o público sair da sessão como se tivesse tomado um soco na cara.

Quem quiser saber mais dá um espiada no site 24 Quadros/seg na parte do Cinema Alternativo. É muito bom!

T+

terça-feira, abril 29, 2003

Q tal tentar dnovo?!?!?!

É isso aí mesmo, depois de um longo e tenebroso verão (mais um pouquinho na realidade mas td bem) pretendo voltar com algumas atividades esquecidas.
Bom, pra começar indico um blog para quem faz Comunicação Social e pretende ser um jornalista no futuro, ou que quiser saber um pouco mais sobre a qualidade gramatical de dois dos nossos jornais regionais. Aí vai: www.camposdosgoytacazes.blogger.com.br

O tal do Ururau Irado é tão cáustico quanto à mancha química que contaminou o rio Paraíba.

té a proxima!

segunda-feira, abril 28, 2003

Versão online da nossa realidade

Sou um músico que deseja montar uma banda, ensaiar, entrar em contato com um a gravadora, gravar, distribuir CDs e ganhar dinheiro com a venda e com meus shows. Pois é! Quantos de nós não está nessa situação ? Só que eu estou fazendo isso duas vezes, uma no mundo real e outra no mundo virtual criado por uns malucos da gravadora Trama. Trata-se de RockVille, um jogo online feito em flash feito para se jogar durante toda a vida, eu acho. Além desse jogo, existem outros como fórmula Hood (corra com o Rappin Hood e se vencer, baixe uma mp3) e o pesadelo de Marky. Muito interessante.
Radiografias, pra que te quero

O que vocês fariam com uma radiografia depois de já tê-la usado em seu principal propósito? Pois é. Eu, pelo menos, não faria nada. Mas Jorge Luiz Tavares, um maluco beleza multitarefas que eu conheci em Araruama, soube aproveitar para fazer arte. Ele criou um cardume de fractais belíssimo e colocou no ar através de seu site, por sinal muito bem desenvolvido. Vale muito a pena fazer uma visita a ele. Jorge Luiz, além de artista plástico com diversas formas de expressão, ainda é um compositor com um lirismo fora do comum e divulga bandas de Salvador para a Região dos Lagos. Um bom sujeito, pode crer.
Viaje pelo mundo do graffiti

Ainda falando sobre arte: Se você curte graffiti, dê um passeio calmo e tranquilo por cada galeria do site do AerosolArt. Lá, além de fotos de graffitis maneríssimos, encontra-se, também, uma parte dedicada aos rascunhos(sketches) dos artistas feitos em papel com lápis de cor, hidrocor e outros. Dessa forma, fica mais fácil sacar como o desenho chega ao seu aspecto final, quando recebe seu acabamento com spray.
Uma Lista de Filmes maneiros
Sei lá! Achei que seria manero colocar uma lista de filmes aqui para vocês assistirem. Uns eu gostei, outros eu gostei de alguns personagens, outros estão aí só porque estão e pronto.
1-Dois doidões em Harvard (contém a presença de Redman e Methodman. Engraçadíssimo!!!)
2-Clube da Luta (que diabos...???)
3-Matrix (clássico)
4-Beleza Americana (versão adulta de Curtindo a Vida Adoidado)
5-Uma Outra História Americana (imperdível)
6-O Ódio (filme francês que parece ter sido feito por Spike Lee)
7-Dopping (não usem drogas, esportistas)
8-Meninos não choram (um chute no saco ou soco no estômago)
9-Vizinhança do Barulho (Ei, eu tenho esses cheeseburgueres, cara!)
10-Jogo Bruto (maconha, tiros, rap e mulheres. A fórmula perfeita.)
11-187- O Código (faz Mentes Perigosas parecer uma comédia)
12-Lance do Crime (Tupac não morreu)
13-Fresh (o que um moleque pode fazer com o crime? Eis aqui a resposta)
14-Faça a Coisa Certa (De Spike Lee. Preciso falar mais?)
15-Febre da Selva (casais inter-raciais nos Istêites? Eu acho que não! Outro de Spike Lee)

Vejam esses filmes aí e depois conversamos sobre eles. Valeu? Qualquer coisa, comente sobre eles aqui mesmo.

domingo, abril 27, 2003

Mais podrera vindo aí!!!

No dia 3 de maio desse ano, ocorrerá no Zanzibar (aquele bar embaixo do campo do Americano) o 3º Rock Festival, contando com a presença de cinco bandas, sendo quatro de Campos e uma do Rio de Janeiro, capital. São elas: Anônimos (punk rock), Mr. Chiwawa (punk/metal), Oryon(new metal/rap metal), Viagra(trash/grind/punk) e Uzômi (trash carioca). O show começará às 19 horas da noite e a entrada é cinco reais. Vai ser ducaralho!!! Contamos com a presença de todos. Dessa vez, vamos fazer até resenha pra esse blog.

quarta-feira, abril 23, 2003

blogs na mídia

saiu matéria de capa do caderno cultural do jornal "a cidade" de hoje sobre os valorosos blogs goitacás. nosso querido e abandonado tímpano foi citado, além dos companheiros margem direita, de alexandro f. e urgente!, blog jornalístico que conta com jorge rocha. vale conferir.
Traficantes e Usuários

Vocês sabem o que diferencia um traficante de um usuário de drogas no momento do flagrante dado pela polícia e aos olhos da justiça? Se enganou quem falou em quantidade da droga. As verdadeiras caracterísiticas delimitadoras são a cor da pele e classe social. Basta tirar um dia de folga e ler no fórum das suas cidades um pouquinho de sentenças judiciais e você ficará tão abismado como eu. Eu imagino que os policiais sigam a seguinte cartilha no momento da apreensão.
Negro pobre bermudão da Cyclone, boné de aba reta sem droga: sem dúvida alguma é um traficante. Não precisa nem estar com o flgrante na mão. Caso ele não esteja com nada, deve ser providenciado pelos próprios policiais. O importante é enquadrar e pôr no xilindró. Porém, não sem antes dar porrada nele!!!
Negro pobre com 5 g de maconha: Traficante. E daí que só está com cinco gramas? Tá na cara que ele vendeu o resto da mercadoria. Que mané consumo próprio o quê? Porrada nele!!!
Negro classe média com 10 g de maconha: Traficante. Porrada nele e leva pro xilindró. Mas bate de leve. Não amarrota muito a blusa não.
Negro rico com 20 g de maconha: Traficante. Como é? Usuário? Por quanto você quer que eu acredite nisso? Hummm... Tudo bem. Tá liberado por hoje. Mas se eu te pegar de novo...
Branco pobre bermudão da Cyclone, boné de aba reta sem droga: Tá andanddo com aquele neguinho é por que é traficante também. Porrada nele!!! Leva também. Ô, Silva! Separa umas duzentas gramas que a gente pegou ontem e põe no bolso do meliante aí.
Branco pobre com 5g de maconha: Traficante. Porrada nele!!! Leva pro xilindró. Mas bate de leve. Não amarrota muito a blusa dele não.
Branco classe média pit boy com 20 g de maconha: aê, preibói!!! Ficou feio pro seu lado. Tem quanto aí? E no outro bolso? Então põe na minha mão aqui. Valeu!!! Tá liberado. Da próxima vez, eu falo pro seu pai, hein?
Branco rico com 5 kg de maconha: Ô, Doutor! Que coisa feia. Tá , eu entendo. Eu sei que o senhor não é traficante. Conheço sua família, seus filhos, sua esposa... Eu sei que o senhor também não é usuário. Essa seria a primeira vez que o senhor estaria usando drogas. Eu acredito no senhor. Só que eu vou ter que levar metade dessa droga aí. Sabe como é, né doutor? Que nada. Eu que agradeço. A propósito, vi o filho do senhor ontem. Tá forte, né?