sábado, maio 31, 2003

Overdose (OverdOryon) de shows

Três notícias: duas boas e uma ruim. A ruim é que deu bode no show que ia rolar nessa quinta. A organização do evento nos informou na véspera do show, por isso não consegui alertá-los a tempo. Uma das boas é que esse evento não foi cancelado, foi adiado para quinta que vem: saberei de mais detalhes durante a semana e passarei para vocês.
A segunda boa notícia é que o show da Oryon no Cefet Campos está confirmadíssimo para hoje a partir de 23 horas. São três bandas (Gravidade Zero, Trio Ponta de Pé e Oryon) mais uns djs que vão entreter a molecada nos intervalos entre as bandas. O ingresso custa dois reais e um quilo de alimento não perecível.
Por enquanto é isso. Em breve, mais notícias.

quarta-feira, maio 28, 2003

Tímpano #4 está no ar!

Nesta edição temos:

- Matéria com o Metamúsica, revista campista de rock
progressivo, impressionante pela riqueza de material e
conhecida (e lida) mundialmente;

- Viagra no Carnaval: diário de bordo do show de uma
banda de thrash metal na praia do Farol de São Thomé,
balneário turístico de Campos dos Goytacazes, em plena
sexta-feira de carnaval.

- Matéria com a banda Cianureto, punk rock rápido, bem
trabalhado e divertido, e conheça "Patty Grunge".

- Poesias de Fabrício Maciel ("Espírito"), Lorena
Alves ("A Avenida") e Romulo Narducci ("Célula
Morta").

- A difícil relação entre arte e mercado, em artigo de
Fabrício Neves.

- A variação na cotação do dólar e seus impactos nos
negócios noturnos na 21 de abril, em charge de Maxoel
Costa.

- Maconha e sorrisos de soprano em conto de Ébano
Machel.

- A história de Coisa Ruim, o terror do Macaco
Molhado, em conto de Venoso.

- Resenha do CD Demo "Coice de Mula", da banda de
mesmo nome. Bluegrass, celta irlandês e jazz, de São
Paulo.

- Resenha do EP "Don't Follow the Christ", do
Aracrânios, banda de black metal de São Fidélis-RJ.

- MP3: a belíssima "Na Estrada", dos paulistanos do
Coice de Mula; a inclassificável "Poesia Pagã", de
Thiago Kerzer e a pancadaria grindcore "Nem Estado Nem
Mercado", de Lamparão.

http://www.timpano.cjb.net

É show que não acaba mais

Pois é! No ano passado, eu e a galera da Oryon vivíamos reclamando por conta da escassez de shows e agora vamos conseguir a marca de cinco finais de semana consecutivos tocando. Nessa semana, vamos tocar duas vezes: quinta(29/05) e sábado(31/05). Com relação ao evento da quinta, careço de informações precisas, mas o que eu sei é que será na Quadra da Mocidade Louca às 23 horas.
Já no sábado, o evento vai rolar no CEFET-Campos, começa 23 horas também e conta com a presença das bandas Rastapé (forró pé de serra) e Gravidade Zero (rock'n roll). O ingresso vai custar apenas 2 reais e um quilo de alimento não perecível.
Conto com a presença de todos lá. Valeu!!!

quarta-feira, maio 21, 2003

Dica do dia

Quase ninguém sabe, mas o motivo que fez com que o show da Oryon atrasasse no São Cristóvão foi, entre outros detalhes técnicos, o seguinte: o fusível do cubo de baixo queimou na hora em que eu liguei. Motivo: O cubo esteve ligado em todas as sete horas que antecederam nosso show, com volume e ganho altos, sem descanso e com os baixistas plugando o cabo no baixo com o som ligado. Loucura!!!
O que vai acontecer entre os organizadores e o dono do cubo eu não sei, mas vamos aprender uma coisa com isso: Caso outros festivais com mais de quatro bandas seja organizado, os organizadores devem providenciar pelo menos dois cubos, ou caixas para disponibilizar no palco para as bandas tocarem. Isso evita, entre outras coisas, excesso de saturação do som que, somado 'as reverberações do ambiente (infelizmente, a acústica do São Cristóvão não é boa), faz o som ficar uma merda e cansar os ouvidos de qualquer um. Até de quem está tocando.

segunda-feira, maio 19, 2003

13 de maio é o caralho!

Não, não é o Anti-Tudo escrevendo. Foi só pra dar destaque a esse protesto contra a farsa do 13 de maio...

domingo, maio 18, 2003

A cor da pele: raça e escravidão

Perdoem este tolo, que se esqueceu de noticiar um evento de tão suma importância em seu último post.
Este é o título de mais um debate que vai ocorrer na XI Bienal Internacional do Livro, na próxima sexta, dia 23, às 18h30min. Abaixo, o resumo e os participantes, como foi copiado do site oficial do evento.

O infame comércio. O fardo da servidão brasileira. O desafio dos quilombos. Abolição: de direito e de fato. A questão racial na
atualidade.

• Alberto da Costa e Silva
• Cristovam Buarque
• Eduardo Bueno
• Joel Rufino dos Santos

Nos encontramos lá!

sábado, maio 17, 2003

Stones em alta... saca o que ta rolando por aí...

WASHINGTON (Reuters) - É apenas rock 'n' roll, mas dúvidas vêm sendo levantadas em torno de oito ingressos para um show da banda Rolling Stones, totalizando 2.533 dólares, para a filha do presidente George W. Bush, Jenna.
Na quinta-feira, Bush divulgou a verba financeira de 2002 para ele e sua família, reportando um valor líquido mínimo de 8.8 milhões de dólares até 21.9 milhões de dólares.

Bush relatou ter aceitado seis ingressos para um show do Rolling Stones do então todo-poderoso da Sony Entertainment Tommy Mottola, e dois ingressos do Serviço Secreto em Austin, Texas. Eles eram para sua filha Jenna.

Depois de especulações da imprensa, a Casa Branca divulgou um comunicado na sexta-feira explicando que presentes para dependentes com menos de 21 anos de idade são listados no relatório financeiro.

"Jenna é fã dos Rolling Stones e expressou interesse em comprar ingressos. O sr. Mottola então ofereceu as entradas como presente a ela", disse o porta-voz Ari Fleischer.

Ele afirmou ainda que os outros ingressos também eram presentes de aniversário dos agentes pessoais de Jenna.

"As entradas não foram pagas pelo Serviço Secreto, mas pelos agentes", afirmou Fleischer.

Agora..., acredite se quiser

sexta-feira, maio 16, 2003

Trabalho Novo

Atenção! Na XI Bienal Internacional do Livro haverá o debate "O Futuro do Trabalho", contando com a presença de Domenico de Masi (mais Mary Del Priore), ídolo do criogênico J. R. e do Rodriguinho Millhouse. A data, antes que eu me esqueça, é 25 de maio, domingo, às 14 horas.

Haverá também no mesmo dia, o debate "Decifra-me ou te devoro: mídia, consumo e barbárie", com a presença de Caco Barcellos, Edney Silvestre, Emir Sader e Leonardo Boff.
A Bienal acontece no Riocentro (Avenida Salvador Allende, nº 6.555 – Barra da Tijuca)

É logo ali, no Rio, só 4 horas de viagem...


quarta-feira, maio 14, 2003

Sobre O Sal Grosso 3

Para quem não sabe (e quase ninguém deve saber disso), Sal Grosso 3 é o nome do evento que ocorreu em Macaé nesse fim de semana em que nós (Oryon) tocamos junto com Viagra, Cervical e Darkside. A partir de agora, você vai ler a resenha do show e saber mais o menos o que aconteceu.
Primeiramente, devo dizer que havia uma pequena quantidade de pessoas (aproximadamente umas oitenta). Levando em consideração que o evento foi pouco divulgado e que choveu no dia, além de estar fazendo um frio de rachar qualquer bico,até que foi uma quantidade razoável.
A primeira banda da noite foi Cervical, que por motivos desconhecidos, não conseguiu agitar o pessoal. Infelizmente, não deu para entender nada que o vocalista berrava, e parecia que a banda estava meio desentrosada. (Depois eu descobri o porque, era quase impossível ouvir outra coisa que não fosse o som do meu próprio instrumento). A galera ficou bem dispersa.
A segunda banda foi a Oryon (da qual eu faço parte). Eu confesso que estava meio receoso da reação da galera, pois como devem saber, tocamos um estilo que se convencionou chamar de new metal, e esse é o estilo que praticamente toda a galera do metal tradicional (que representava mais o menos setenta por cento do público presente) faz questão de criticar e meter o pau. Ou seja, iríamos tocar algo que as pessoas não gostavam. Ledo engano!(Graças a Deus!!!) A não ser alguns conhecidos de Campos, as pessoas não pularam durante a exibição das nossas sete composições próprias. Em compensação, ficaram ali prestando atenção e por vezes, até balançavam a cabeça. Tive a impressão de que o saldo geral foi positivo e fiquei bastante aliviado. Mais ainda, quando tocamos Chop Suey, do System of a Down em que metade do bar pulou e depois quando tocamos Killing in the name, do RATM, onde a segunda metade se juntou a primeira.
Logo depois, veio, sem sombra de dúvidas, o show da noite, Viagra. Em todas as músicas, seja nas composições próprias, quanto nos covers, todo o Podium pulou. Pecebeu-se que aquele pessoal todo adorava Sepultura. Professor João Felipe arrebentava na bateria. Sua pegada era tão firme, que dava para se ouvir fora do bar, sentado na areia. Professor Leon, apesar de problemas com a fonte de sua pedaleira, também arrebentou nas guitarras ao lado de Rodriguinho, o mais louco no palco. Gerlan mandou muito bem no baixo e Marcinho provou que é o showman da banda com uma perfomance incrível. Ouvi comentários como: "A voz do cara é foda!!!"
Com a ingrata missão de fechar o evento veio a banda Darkside, mandando ora heavy metal, ora metal tradicional, ora coisas que lembravam o Metallica. O destaque da banda foi o guitarrista/vocalista Alexandre que soube fazer uma perfeita fusão entre desempenho técnico e bateção de cabeça. Infelizmente, eles tocaram para poucas pessoas.
Depois, ora de bater o rango. Alexandre foi nos levar para comer em um podrão de macaé. Primeiro, ele se espantou com um bando de metaleiros, com tatuagens, piercings, cabelinhos espetados e os diabos que, ao entrarem na van, pegaram triângulo, meia lua e violão para cantar forrozinhos de duplo sentido e clássicos de Castanha e Caju. Depois, veio o nosso susto: uma barraquinha localizada em uma esquina queria cobrar dois reais por pão, carne, ovo, salada e batata. É óbvio que esse cara perdeu fregueses. Fomos comer em outra barraquinha, onde cada um comeu um (Leon e Rodrigo comeram dois) eggcheesepresuntobaconburger galopante fromthehell três vezes, embalados por seis litros de refrigerantes. A propósito, uma garrafa de refrigerante Coroa custava três reais e uma garrafa de dois litros de Coca Cola também. Por que será?
Depois de tudo isso, voltamos pra casa, felizes, cantando e cansados.
Dois pontos negativos da noite: a banda Agonia não tocou e roubaram todos os meus cabos que estavam dentro da capa em questão se dois minutos. O furto ocorreu antes mesmo de eu tocar.
Ponto positivo: nenhuma briga. Parece que, diferente de algumas pessoas daqui, o povo lá sabe realmente o que quer: ver a cena cada vez mais forte.
Vejo vocês no São Cristóvão, dia 17 (nesse sábado).

terça-feira, maio 13, 2003

Viva!!! Um cantor americano falou em português!!!

Ultimamente, eu tenho prestado atenção em um fenômeno interessante. Sempre que um artista de fora vem ao Brasil fazer um daqueles shows, onde existe uma megahipersuperultraprodução, tem a obrigação de falar pelo menos uma palavrinha em português. Por quê? Como assim, por quê? Porque o público adora isso!
Eu assisti a uma gravação de um show do Silverchair, durante o Rock in Rio, em que no intervalo entre duas músicas, Daniel Johns, vocalista, guitarrista e carinha bonitinha da banda, disse "OI". Foi um alarido geral na cidade do rock. O próprio Daniel gostou da brincadeira, olhando para os seus parceiros com um sorriso de descrença no rosto. Ele fez mais um teste. Disse: oioioioioi fucking oi! Dessa vez, o resultado não foi o esperado. Foi melhor. A cidade do rock repetiu o gesto do ídolo teen.
Em outra situação, no final de uma música de um cantor, cujo nome me fugiu à memória, o público aplaudiu e gritou. Comovido com o prestígio, esse cantor aproveitou a situação para falar a única coisa que ele sabia falar em português: Obrigado!!! Foi ovacionado em dobro.
Por que será que isso acontece? Será que essa galera sente uma familiaridade maior? Uma identificação? Ele é mais parecido com a gente do que imaginamos? Sei lá. Só sei que acho isso muito estranho. Êta povo besta, meu Deus!!!
Detalhe importante: o Ritchie sabe falar muito bem o português e ninguém liga para ele. Gringo bobo. Deu mole!!! Não precisava ter aprendido o vocabulário todo nem a gramática ou a pronúncia. Bastava ter aprendido umas três palavras e composto suas músicas em inglês. Garanto que desse jeito, ele teria feito muito mais sucesso no Brasil.

segunda-feira, maio 12, 2003

Bombardeio Hardcore

Mal saía eu de um evento de metal em Macaé e já recebi informações de outros. É o seguinte:
dia 25 de maio, 16 horas, no Americano F.C. (Linha Vermelha) de Macaé, R$ 3,00.
Bandas: Mukeka di Rato (Vitória-ES), Protesto Suburbano, Solstício (Cabo Frio) e Trapos.
dia 01 de junho, 16 horas, no Americano F.C. (Linha Vermelha) de Macaé, R$ 3,00.
Bandas: Nitrominds (São Paulo), Cervical, Small Action e Pupila.
Podem preparar nas agendas, juntar o dinheiro da passagem e partir pra lá.

sábado, maio 10, 2003

Ativistas ocupam escritórios da ANATEL em protesto contra fechamento de rádios

Num ato coordenado visando cinco escritórios da ANATEL em Belo Horizonte, Goiânia, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo, ativistas que lutam pela democratização dos meios de comunicação protestaram contra o fechamento de rádios livres e comunitárias pela agência. E o que é mais legal..., ao contrário do que a maioria torce... deu certo!!!!
veja no cmi

sexta-feira, maio 09, 2003

É nóis em Campos também!!!

Os campistas não precisam se lamentar por não haver evento aqui no fim de semana do dia das mães. Vai rolar no dia 17 de maio (sábado que vem) o que talvez será o maior festival underground da cidade. Estamos falando de oito bandas dos mais variados estilos de rock. Curfew (new metal), Cianureto (punk), Darwin (new metal mais pesado), Anônimos (punk divertido), O Esquilo Secreto (punk e grunge), Oryon (new metal e rapmetal), Mr. Chiwawa (de tudo um pouco) e Cactus Kid (pop rock). O evento foi organizado em parceria entre Daniel(Anônimos) e o pensador Alexandre (O Esquilo Secreto). Vai ser no São Cristóvão, em frente ao abrigo João Viana e os organizadores prometeram que começará pontualmente às 14 horas. Todas as tribos serão contempladas com música de qualidade. Só espero que convivam com harmonia dessa cez.
É nóis em Cavaleiros!!!

Agora é oficial. Amanhã, dia 10 de maio, às 14:30, show em Macaé. O evento vai rolar no Podium, em Cavaleiros (ao lado do Chez Michou) e contará com as bandas Cervical, Agonia, Darkside, Viagra (com timpaneiro o podrão Rodrigo Manhães) e Oryon (com um tal de Ébano aí). O império se expande.

quinta-feira, maio 08, 2003

"RES, NON VERBA"

Decididamente, vou ter de aprender inglês. E você também. Ou então paro de ler jornais. Explico: Abro o jornal neste domingo e vejo um anúncio de rádio-gravador equipado com "Finger Quick Recordind Systems" (?!). E deve ser dos bons porque esse vem equipado com o indispensável "Sleep Time".
Pela gravura não dá para perceber se esse é do tipo "Front-Loader", como vi outro anúncio, ou se é "Top-Loader", também anunciado. Mas tenho certeza de que é do tipo "Auto-Stop", porque está escrito.
Se meu rico dinheirinho não estivesse comprometido no "open-marked" eu até arriscaria no "over-night" e, só com os juros, eu compraria um big "Tape-Deck", desses que a gente vê em tudo quanto é "out-door" por aí.
Ou então eu embarcaria na última novidade desta nossa civilização da imagem: uma televisor da linha "Shot Vision" equipado com o "Detachable Remote Control", do jeitinho como está no jornal.
É... Decididamente, a coisa está mais prá Frank Sinatra do que prá Morais Moreira. Tem nego por aí lendo "táico táico no fiubá", em vez de "Tico Tico no Fubá", para anunciar essa gostosa música do repertório popular brasileiro.
Agora mesmo estou lendo num jornal da capital o título: "Para setor do varejo "draw-back" da carne é manobra do governo". Ah, você não sabe o que é "draw-back", não é? Problema seu! Não!! Problema nosso. Alguém está denunciando que os frigoríficos receberam um dinheiro grosso para comprar gado, abater e estocar só que não fizeram nada disso. Coisa para inglês ver.
E tem mais: fala-se muito em "leasing", "lease-back" e que tais. Os jornais estão cheios. Há pouco tivemos que fazer um "bridge-loan", para saldar as contas.
Já temos motos com suspensão dianteira "Air Sus" e suspensão traseira "Pro-Link". Com todas essas inovações e com a nossa gasolina de cento e tantas pilas devem ter rendimento bárbaro.
Mas é no mundo do som que os "inglesófilos" se realizam. Você por acaso tem em casa uma "pick-up", perdão, um toca-discos dotado de "Auto-Return Direct Drive Turntable"? Não sabe, né. Vai ver então que o seu é do tipo "Belt-Drive". Convém conferir. As minhas caixas acústicas são "Bass Reflex" com "Dome Tweeter". Daí, meu nego quando ligo o meu "Super-Stereo Integraded Amplifier" e ponho pra rodar o último disco do Trio Parada Dura, Putzgrilo, não quero nem morrer!
E foi por essas e outras, que a gente encontra a toda hora nos nossos jornais, que não estranhei nem um pouco quando aquele amigo meu, quartanista de Direito, diante da expressão latina "Res, non verba", não teve dúvidas em traduzir: "Não tem verbas"!
Inté mais.
OSCAR SILVA (Publicado no Jornal Comarca de Junqueirópolis)
"Reproduzido pela Área de Hidráulica e Irrigação - UNESP"



Achei esse txt revirando meus guardados.

T+

terça-feira, maio 06, 2003

Reunião do povo na bacia do Itabapoana: o projeto Managé

Porã, um indiozinho da nação Puri, nos dá as boas vindas quando entramos no site do projeto Managé, desenvolvido pela UFF em parcerias com as prefeitura dos municípios da bacia do Itabapoana e com a SEBRAE. Os caras pretendem criar um desenvolvimento sustentável na região por onde passa o rio Itabapoana que compreende desde educação ambiental até peixamento do rio para tornar mais lucrativa a atividade pesqueira. O site contém informações e artigos que atendem a várias áreas científicas e curiosos (como eu).
Enquanto isso, no momento em que o rio São Franciscofoi poluído pelo dejeto industrial da Cataguazes, ninguém voltou os olhos para a nossa querida(?) Universidade Estadual do Norte Fluminense, que decidiu, por conta própria analisar a água e os peixes em seus laboratórios. Ao mesmo tempo, ouvia-se um radialista gritar pro prefeito para não dar ouvidos a governadora e levar a água para a cidade de São Paulo.
Aí fica no ar aquela pergunta que ainda não quer se calar: qual é o papel da UENF na região Norte Fluminense?
Intercâmbio Macaé x Campos

Nesse sábado, dia 10 de maio, as bandas Oryon e Viagra estarão tocando em Macaé, a convite da banda Darkside. Muitos contatos serão feitos e teremos, frequentemente, notícias sobre o que acontece na cena underground macaense. O que eu sei é que o show começará às 15 e meia. O lugar exato e todas as bandas que tocarão, eu vou informar posteriormente. Uma das bandas é a banda de hardcore Cervical, que já tocou em Campos e foi bem aplaudida.

segunda-feira, maio 05, 2003

Mais um

Gostaria que os leitores de Timpanus me ajudassem nessa:
O tal do Russo que tocou sábado no J. do Liceu... o que era aquilo?

PS: Estarei fora do ar por um tempo, em manutenção. Volto assim que possível!

T+
Semana da ContraCultura
Na Casa do Mar - de 05 à 10 de maio

Segunda-feira, dia 05 - às 17:00hs Vídeo do CMI
Às 19:00hs Conversação com André do CMI-SP sobre: "História do CMI e Conceito CopyLeft"


Terça-feira, dia 06 - às 17:00hs Conversação com Thiago da Rádio Muda sobre: "Rádio Muda e Rádios Livres"


Quarta-feira, dia 07 - às 16:00hs Oficina de Subversão de Propagandas e Realização de Grafittis(não confirmado)
às 19:00hs Conversação com Mara do Fórum Paulista de Hip Hop sobre: "Movimento Hip Hop"


Quinta-Feira, dia 08 - às 19:00hs Conversação com Fred do Festival Musical Verdurada sobre: "Verdurada e Ideologia Straight Edge"


Sexta-feira, dia 09 - às 16:00hs Conversação com Daniel da Bicicletada sobre:
"Bicicletada"
às 19:00hs Conversação com Josimas da banda Execradores e da Organização Anarco Punk (ORGAP) sobre: "ContraCultura Punk e Movimento Punk"


Sábado, dia 10 - Show com as Bandas: à partir das 16:00hs
Flama (show de despedida de um integrante da banda)
Amandla
Execradores
Public Hate
Entrada: R$3,00 + 1Kg de alimento

Local:

Casa do Mar
Endereço: Rua Dr. Zuquim, 564, Santana - próximo ao metrô Santana
Fone: 6283-4252
mar@riseup.net



--------------------------------------------------------------------------------


M.A.R. - Movimento Ambiental Revolucionário

caixa postal 12042 - são paulo-sp - 02013-970

M.A.R. é um Coletivo Vegan-Libertário que luta pelas libertações Animal, Humana e da Terra!


--------------------------------------------------------------------------------

sábado, maio 03, 2003

Novidades

Com essa retomada do blog quero refazer algumas promessas antigas:
- O logo do blog até o dia 15;
- Atualização diária (ou quase :P )
- Reformulação visual do blog (até o fim deste mês. Eu juro!)

É isso aí.
Qualquer reclamação ou sugestão >>> azamana@terra.com.br

T+

Antes tarde do que nunca

Esse post era para entrar no dia 1º. Sabe como é, todo ano a mídia divulga o porquê da data e nós sempre esquecemos.
Bom, aqui vai a contribuição do Timpanus.

A data internacional surgiu após protestos e mortes de operários

O Dia Mundial do Trabalho foi criado em 1889, por um Congresso Socialista realizado em Paris. A data foi escolhida em homenagem à greve geral, que aconteceu em 1º de maio de 1886, em Chicago, o principal centro industrial dos Estados Unidos naquela época.

Milhares de trabalhadores foram às ruas para protestar contra as condições de trabalho desumanas a que eram submetidos e exigir a redução da jornada de trabalho de 13 para 8 horas diárias. Naquele dia, manifestações, passeatas, piquetes e discursos movimentaram a cidade. Mas a repressão ao movimento foi dura: houve prisões, feridos e até mesmo mortos nos confrontos entre os operários e a polícia.

Em memória dos mártires de Chicago, das reivindicações operárias que nesta cidade se desenvolveram em 1886 e por tudo o que esse dia significou na luta dos trabalhadores pelos seus direitos, servindo de exemplo para o mundo todo, o dia 1º de maio foi instituído como o Dia Mundial do Trabalho.

Fonte: IBGE / Ministério do Trabalho

sexta-feira, maio 02, 2003

Errata!
Este que vos escreve disse anteriormente, iludido pelo falso clima de sábado do feriado, que o show da Nana Caymmi seria amanhã. Na verdade, vai ser no domingo dia 4.
Grato e desculpe qualquer incômodo eventual....

quinta-feira, maio 01, 2003

Dica:

Nana Caymmi amanhã no Jardim São Benedito. É de grátis!!!


"Cinema é a Maior diversão"


...Como já diziam por aí. Seguindo a onda de Ébano e Zamana, aqui vai uma listinha de filmes que vão agradar toda a família. Hmmm, talvez nem tanto, mas é diversão garantida na certa.


- Os Irmãos Cara de Pau - Dois picaretas, os Irmãos Jake e Elwood Blues, após saírem da cadeia, aceitam uma missão divina (com direito a sermão do Reverendo James Brown e tudo): Juntar "a Banda", arrecadar uma grana e salvar o orfanato onde cresceram. Só que a banda em questão tem outros planos. Uma homenagem ao universo da música negra americana. Diversão de primeira e uma trilha sonora da pesada, contando com a participação, em carne e osso, dos grandes do Blues e do Soul americano: Aretha Franklin, Ray Charles, entre outros. Nasceu clássico.

- Arizona Nunca Mais - Entre uma prisão e outra, um ladrão e uma policial se apaixonam e decidem se casar. Para completar a felicidade do casal, só falta um pimpolho. Isso se ela não fosse estéril. E o passado criminoso dele não permite que eles adotem. A solução? Roubar um bebê de um casal que teve 5 filhos ("Alguns são abençoados com tanto se a gente não tem nenhum. Não é justo...")!!! Se eles soubessem a confusão que isso ia dar... Atenção para a camêra nervosa dos irmãos Coen.

- Procura-se Amy - Pra mim, o melhor filme de Kevin Smith. Dois criadores de histórias em quadrinhos se envolvem e ele se apaixona por ela. Só tem um detalhe: Ela é gay. Mas tem muito mais que isso. Só vendo. Participação, é claro, de Jay e Silent Bob.

- Esperança e Glória - A visão da segunda guerra pelos olhos de um garoto inglês. Nada de drama. O bom humor é vigente. Destaque para a cena onde uma escola é destruída por uma ataque alemão, para a alegria das crianças que voltavam das férias e um dos garotos grita: "Deus abençoe esse Hitler".

- Comendo os Ricos - Um grupo de excluídos da sociedade decide se vingar: Passam a matar os ricos que os humilharam a vida toda e abrem um restaurante da moda. Adivinhem qual é o prato principal? Movimento antropofágico é isso aí...

- Afogando em Números - Um grupo de mulheres oprimidas e traídas decidem matar os seus maridos, sempre da mesma forma, afogando-os. Uma comédia mórbida de Peter Greenaway. Atenção para os números que aparecem durante o filme, de 1 a 99 (ou seria 100? Não me lembro.). Esses ingleses são tão mórbidos...

- El Mariachi - Uma idéia na cabeça, uma câmera na mão, um bando de amigos e nasce um filme! O mexicano Robert Rodriguez tinha tudo isso, só não tinha dinheiro. Mas fez um filmão. Um cantor das Ruas, um Mariachi, chega a uma cidade e é confundido com um matador pelo chefão do crime local. Teve um remake americano, com Antonio Bandeira e um monte de efeitos especiais. Não tem nem comparação...

- Feitiço do Tempo - Um homem do tempo fica preso numa pequena cidade, em meio a uma tempestade de neve, no dia da marmota (Há uma lenda que diz que quando esse animal sai de sua toca, é poruqe o inverno vai acabar). Mas acaba ficando preso também no mesmo dia... Gerando situações inusitadas.

- Amadeus - "Esses roqueiros de hoje em dia são todos uns viciados, uns pervertidos, sem respeito nenhum, uns pirados. Bons mesmos eram os compositores clássicos do passado, tementes a Deus, comportados. Por isso que meu filho tem que ouvir Mozart, Lizt, Beethoven." SE você já ouviu esse papo antes, sugira que o crítico em questão assista Amadeus, que mostra um pouco da vida de Mozart. Acredite: Ele não fica nem um pouco atrás dos roqueiros de hoje em dia. Sexo, boêmia e música clássica!

- Fúria de Titãs - Vai dizer que nunca vibrou vendo esse filme? Retrata a famosa história de Teseu, herói da mitologia grega. Fez a cabeça de toda uma galera dos anos 80. Efeitos especiais do mítico Harry Harryhausen.

- O Império Contra-Ataca - O MELHOR filme da saga "Guerra nas Estrelas". O mais denso e sombrio, também. Aventura, romance, intriga, batalhas épicas, está tudo lá. Como o título já diz, os rebeldes tomam um sacode: A aliança é desmantelada, Luke é derrotado, Han Solo é congelado em Carbonite. E um final que deve ter deixado muita gente irada (A exemplo do "Senhor dos Anéis"). Tudo isso pra ser concluído no razoável "O Retorno dos Jedi"...

- Fervura Máxima - Lembra aquela cena de Matrix, onde o Neo e a Trinity invadem o prédio federal para salvar Morpheus? Pois é, teve precendentes. Os irmãos Wacholski são fãs declarados do cinema chinês e usaram muitas referências (além de mangás e animes e quadrinhos e filosofia zen...). Provavelmente foram inspirados por esse também. Tem tanta bala, mas tanta bala que tem hora que enjoa. Mas tudo amarrado por uma boa trama. Um policial e um agente secreto infiltrado na Máfia se unem pra acabar com o crime em Hong Kong. Chow Yun Fat brilhante muito antes de "O tigre e o Dragão" nas mãos de Jonh Woo.

- Monthy Pithon e o Cálice Sagrado/ A Vida de Brian - A nata do humor inglês, referencial e cabeça. No primeiro, parodia a lenda do Rei Arthur. Destaque para as cenas do terrível "monstro" da caverna e do desafio da ponte. São de mijar de rir. O segundo conta a história de um homem que durante toda a sua vida foi confundido com Jesus, do nascimento à morte. Não recomendável pros cristãos de plantão...

- O Pacto dos Lobos - 1765. Numa pequena vila da França , um monstro, La Bête, supostamente um lobo, massacra os habitantes locais. A aristocracia nem aí, pois o bichão só ataca a ralé, mesmo... Para desvendar o mistério, surgem um nobre francês, naturalista intrigado pelo estranho animal, e seu companheiro, um nativo norte-americano. Mas há segredos que deveriam ficar escondidos e eles encontram inimigos muito mais ardilosos do que a Besta... Pseudo-história e estética de filmes chineses se encontram neste filme de ação-cabeça, baseado numa lenda francesa. Boa diversão, tirando os (d)efeitos especiais. Ainda tem Monica Bellucci como uma prostituta misteriosa e gostosona. Ih, babei no teclado só de lembrar...

- Fome Animal - Um bom filme disfarçado de Trash. Estréia de Peter Jackson quando não tinha grana pra dirigir um "Senhor dos Anéis" da vida, mas tinha um bocado de criatividade desde então. Num zoológico, a mãe dominadora de um jovem é mordida por um estranho animal, o macaco-rato, a quem os habitantes de onde ele se origina atribuem uma maldição. A partir daí, ela passa a agir de modo estranho, até que ela come a namorada do rapaz (no bom sentido, é claro, da boca pro estômago). A partir daí, todos que foram mordidos pela velhota viram zumbis-comedores-de-carne-humana. O resto dá pra imaginar. Cabe ao rapaz (junto com o pretenso para romântico, é obvio) encontrar uma forma de parar com isso. Até que isso aconteça, tem-se um festival de sangue, tripas e carne moída. Veja como um cortador de grama pode se transformar num ótimo triturador de carne e morra de rir! Ou vomite...